Video caseiro brasileiro amador bunduda buceta grande carimbando buceta na pica com o caseiro de sua casa de são paulo – sp

6 min

Categoria:

Tag: ,

visualizações

6 min

Categoria:

Tag: ,

Video caseiro brasileiro amador bunduda buceta grande carimbando buceta na pica com o caseiro de sua casa de são paulo – sp

Video caseiro brasileiro amador bunduda buceta grande carimbando buceta na pica com o caseiro de sua casa de são paulo – sp

A raimundinha mamou na minha piroca durante uns 15minutos, então eu disse: Agora quero ver esse bundão gostoso, no mesmo momento ela virou aquele cu enorme pra mim, abaixei suas calças, coloquei a raimunda de 4, e fiz uma coisa que jamais havia feito antes: Comecei já comendo o cu da raimunda bunduda, ela deu uma gemidinha, e comecei a carcar o cuzinho dela, sem dó nem piedade, eu ali em pé destruindo aquela raimunda feinha com uma bunda enorme, comi o cu dela por quase 30 minutos, mandei-a a ajoelhar em minha frente e enchi a boca dela de porra, nao batia punheta a uns 3 dias, então o volume de porra foi insano, ela de joelhos, destruida com a cara cheia de porra, e eu ali o macho alpha, com meu pau de cavalo em pé em sua frente, foi ai que disse:– Voce não acha que eu acabei né?Ela olhou com uma cara de assutada e disse:– Eu não aguento mais senhor, desculpa. Ele tirou a minha blusa, meu short, colocou a calsinha pro lado e começou a me chupar, que lindgua era aquela ? Parecia que ia engulir minha buceta todinha e a cada linguada minha xana desejava aquele cacete gostoso socando nela. Era a mulher do caseiro do sítio de meus cunhados, cabelos negros, corpo bem formado. Sou português e como tal peço desculpa se algum termo que usar, não for familiar ao povo brasileiro que domina este site.

Ele queria que fizesse um filme erótico amador, onde ele seria o diretor e câmera, e eu seria sua atriz principal. Depois disso eu o caseiro fomos arrumar um canteiro que as aves haviam revirado todo, enquanto estava-mos ali fazendo o trabalho, chegou até a nós uma ovelha, e ficou cheirando a gente e se encostando em nós, meu sogro chegou perto e disse: eeeh alguem anda comendo essa ovelha, pra ela ficar se esfregando assim, só pode ser, e eu falei eu tambem acho, apontando pro caseiro, e caimos todos na gargalhadaTerminamos o canteiro e ficamos só eu e o caseiro ali sentados na grama conversando, e a ovelha continuava a nos rodear, eu disse a ele, passe a mão na bunda dela, pra ver a reação, se ela ficar parada é porque está no cio, não deu outra, ela chegava a abanar o rabinho de contente e não saia dali.

Invertemos nossas posições e comi o cu dela enquanto Caio comia sua buceta. Encaminhei cuidadosamente o assunto na direção que me favorecesse e logo estávamos apreciando vídeos de cunho profundamente pornográfico. ˝Quando passar no vestibular serei sua˝, havia confessado isso a Paulo.

Entrei e fui direto para o banho, quando sai de pijama ele perguntou porque estava vestido, a casa era só de macho e que lá homem não poderia estar arrumado, me virei e arriei o pijama mostrando para ele minha bunda branca, onde recebi um taba gostoso e um apertão, quando me levantei, ele me abraçou por trás e pude sentir seu pau latejando nas minhas nádegas, abri um pouco a perna e deixei ele crescer por entre minhas coxas, que sensação deliciosa, ele apertava meus peitos e beijava minha nuca, estava com a barba para fazer e ficava arrastando ela nas minhas costas, deixando-me todo arrepiado, eu empinava a bunda para sentir seus pentelhos no reguinho, ele colocou a mão na minha bunda e arregaçou, fazendo seu pau passear pelo meu rego e parava com sua cabeçona na entrada do meu cú, perguntei se ele gostava de dar linguadas no rabo e sua resposta foi um NÃO bem alto, ficou um bom tempo roçando seu volume no meu rego e depois pediu para eu chupar seu pau, pois queria gozar pois não estava aguentando, perguntei se ele queria gozar na boca ou no meu rabo? Ele perguntou se eu aguentaria sua pica no rabo, falei que tínhamos a noite toda para tentar, ele ficou mais ainda tesudo, iniciei uma mamada bem devagar e fui lambendo seu mastro, com muito carinho, ele se sentou e eu chupava, chupava, lambia suas bolas e depois tentava sentar no seu mastro, ele foi ficando cada lambida mais tremulo e dizendo que iria gozar, dei uma parada e fiquei olhando para seu pau pulsar e suas veias estufarem, coloquei uma camisinha e fui sentar no seu colo, tentei relaxar para sua pica entrar mas era em vão, fiquei de quatro com o cú virado para ele e pedi para ele tentar meter assim, ele falou que esta era a posição mais gotosa que ele achava e que sua patroa não gostava de dar pra ele assim, ele segurou minha bunda e foi tentando meter no meu rabo, relaxei e deixei ele invadir meu cú do modo que ele ia conduzindo, foi uma dor que eu suportei por amor aquela pica, antes de entrar tudo ele já estava me apertando dizendo que meu cú era apertaaaaaaado de mais e seu pau cresceu e largou um volume grande de porra, não entrou nem um terço daquele pedaço de musculo e o coroa já havia enchido a camisinha de leite, era tanto leite que escorreu pelas minhas pernas.