Vazou no whatsapp mais um video amador deliciosa buceta grande metendo gostoso na buceta dessa rabuda bem deliciosa dando para amigo carioca de petrópolis – rj

19 seg

Categoria:

Tag: ,

visualizações

19 seg

Categoria:

Tag: ,

Vazou no whatsapp mais um video amador deliciosa buceta grande metendo gostoso na buceta dessa rabuda bem deliciosa dando para amigo carioca de petrópolis – rj

Vazou no whatsapp mais um video amador deliciosa buceta grande metendo gostoso na buceta dessa rabuda bem deliciosa dando para amigo carioca de petrópolis – rj

Mas não lembro direito como aconteceu, apenas tenho flashes, acho que ele colocou algo na minha bebida, lembro que fui para o carro, ele me colocou no banco do carona e disse que íamos para o motel para ficarmos mais à vontade, quando o carro andou surgiu outro cara no banco de trás, ele tava escondido, tomei um susto e ao mesmo tempo fiquei morrendo de medo, mal conseguia me mexer, estava dopada, mas muito excitada também, o cara do banco de trás começou a pegar em meu pescoço, bjar minha nuca, pegar em meus peitos, eu estava com um vestido rodado branco, ele foi levantando e falando para eu ficar relaxada que eu ia gostar daquilo…eu sabia que não ia me livrar daquilo então comecei a entrar na brincadeira…peguei no pau do motorista por cima da calça… enquanto o outro já ia me masturbando, coloquei o pau dele para fora e comecei a chupar, depois o cara do fundo me puxou para o fundo, me deitou no banco e começou a chupar minha buceta, comecei a gemer gostoso nessa hora, n lembro bem por quanto tempo, chegamos ao motel…descemos do carro e antes de entrarmos no quarto ali mesmo os dois já começaram a rancar minha roupa com muita brutalidade, bater na minha cara e me chamar de puta…fiquei assustada e quis parar pois estava com medo… um deles puxou meu cabelo com força e me obrigou a ajoelhar para chupar ele e eu obedeci, o outro logo colocou o pau pra fora tbm e chupei um e depois o outro…subimos para o quarto e lá eles me deitaram na cama, eu estava muito grogue ainda e sem forças, não lembro muito bem como começou, mas lembro deles me chupando… um metendo em mim enquanto chupava o outro, ele socava muito forte e eu gritava como uma puta, eles tetaram comer meu cu e eu não deixava, mas estava muito fraca, então eles forçaram e eu comecei a chorar e pedir para parar, pois vc sabe que não gosto de anal, mas um deles me acalmou e colocou o pau em minha boca…então eu resolvi ser a putinha que vc sempre me pediu Mo…relaxei o corpo e me deixei ser comida, lembro que ainda falei “é só isso que vocês tem?”…eles ficaram com mais raiva ainda e socaram mais forte e me deram uns tapas fortes…gozei muito. revesamos comi Maria que era a mais apertadinha das tres, Raimundo que já tinha comido Tereza socou a pica na Mãe pra saber se prestava achou folgada, enfiou no cu dela fazendo a mãe gemer pedindo filhinho mata mamãe de pica mete soca lasca Tereza botou a buceta na cara de Maria que chupava como uma alucinada desmaiamos de esgotamento e dormimos ali mesmo um sobre o outro. Ele terminou de me falar aquelas coisas e puxou a calça para baixo mostrando o pau dele, era muito grande, pelo menos para mim que nunca tinha visto um pau sem ser o meu mesmo ou em vídeos parecia enorme, um pau de um garoto de 16 anos era bem diferente do meu ainda sem pelinhos, fiquei sem ação, não conseguia parar de olhar, mas muito me senti ofendido também, não respondi nada, eu queria ficar olhando, na hora juro que pensei em dizer que iria, mas também não queria ser chamado de viadinho, putinho, putinha ou nada disso, o que o Maurício estava pensando.

Fiquei ali na escada imaginando ele segurando a piroca, tocando uma deliciosa punheta desejando minha buceta.

Ele queria que fizesse um filme erótico amador, onde ele seria o diretor e câmera, e eu seria sua atriz principal.

-Ahhhhhh – Foi tudo o que ele conseguiu dizer no momento, e assim que recuperou o fôlego me chamou novamente de puta e repetia sem parar :– Aí que delícia, vai rebola mais, sua puta rabuda, vai, vai, isso, rebola essa buceta no meu pau vai. Conversamos por algumas horas, Jane disse que gostava de samba e eu como um bom carioca me prontifiquei a leva-la em uma roda de samba no próximo domingo, trocamos telefone, deu a hora de partir, a noite despontava sob o céu da cidade maravilhosa. Já tinha convidado uns amigos para jogar truca em casa. No meu computador a rebuscar sites “interessantes”, salvando vídeos e imagens de teor altamente capcioso, quando o whatsapp me avisa.

Ele abriu a bermuda e botou pra fora um pau grande e grosso.

Ela se sentou e começo a abrir meu cinto, abaixou minha bermuda junto com cueca, tomou meu pinto em suas mãos sorrindo disse, “você é grande”, e devagar lambeu o corpo do meu pau, escorregando a língua até a cabeça, onde imediatamente o engoliu, como imaginei que boca deliciosa, me sentei no sofa pra ficar mais confortável pra ela me chupar, podia sentir sua boca babando no pinto enquanto o engolia, me retorcia no sofá de tesão, apalpava seus seios e os puxava, assim que ela parou de me chupar me puxo pelo pescoço e me pediu pra lamber seu seios, delícia! Ainda entre as pernas dela chupando e mordendo aqueles mamilos, ela com as pernas me puxava para penetra la, encostei a cabeça da pica na entrada da sua buceta, pra sentir a reação, ela praticamente me explorou pra fude, coloquei devagar pra sentir cada centímetro daquela buceta suculenta e quente, ensopada do jeito que estava, foi delicioso como facilmente cheguei ao fundo, e seu corpo tremendo de prazer, sussurrava no meu ouvido, porque não podíamos fazer barulho. vínhamos fantasiando ela dando pra outro na minha frente à mais ou menos um ano e meio, até que um dia conhecemos um cara pela Internet chamado Paulo, propomos a ele, que topou de cara, conversamos por alguns dias ele enviou várias fotos suas e minha esposa já conversava livremente com ele por mensagens, a gente transava olhando as fotos do pau dele, minha esposa estava decidida a me fazer de corno com ele, um belo dia tiramos folga juntos e convidamos o Paulo pra ir até a nossa casa, marcamos às sete, e passamos a tarde toda preparando tudo, arrumando o quarto, a cama que seria usada por eles, ela depilou a buceta e tomou um banho muito demorado, estávamos muito nervosos, era a nossa primeira vez com outro, minha esposa estava usando apenas um vestido de alcinha e uma mini calcinha, estava uma delícia, ele mandou uma mensagem dizendo que já estava perto, de repente a campainha tocou e eu abri a porta, ele entrou, me cumprimentou e foi em direção a minha esposa enquanto eu fechei a porta, quando virei vi os dois de mãos dadas já entrando no quarto, fiquei louco de tesão , quando entrei no quarto eles já estavam se agarrando, sentei numa poltrona e fiquei assistindo e batendo uma punheta, ele passava a mão na bunda dela e foi subindo o vestido até ela ficar só de calcinha, ela me olhava e com um sorriso safado ela perguntava se eu estava gostando, eu dizia que estava adorando, e ela ficava me chamando de corno, que eu havia nascido pra ser corno manso, ela se ajoelhou, abriu a calça dele e começou mamar no pau dele, chupou por um tempo depois ela levantou veio na minha direção, me deu Beijo e foi pra cama com ele, ele a deitou tirou a calcinha começou chupar a buceta dela que gemia igual uma putinha, ele chupou ela toda, ela gemia e me chamava de corno, perguntava se eu estava gostando de ver ela dando a buceta pra outro, e eu respondí que estava adorando,"(P. Não pensava mais em nada só em sentir aquele cacete gostoso entrando…. Na manhã seguinte, entrei na sala e ele já estava lá, os alunos que vinham de longe vinham com o transporte escolar municipal e por isso eram os primeiros a chegar na escola, estava ele e o Marcos, um dos meninos mais velhos, eles estavam sentados sobre as classes, quando passei por eles o Maurício me chamou de novo, dessa vez eu fui até ele com a cara fechada, bem sério e perguntando “o que?”, quando cheguei perto ele de novo me apalpou por cima da camiseta, apertando meu peitinho com força, dei um tapa no braço dele e ele riu, vi que o Marcos também ria e me apalpou também.

Ruddi vigorosamente me segurou pela nuca e me beijou avidamente me sugando a respiração e a saliva com aquela boca carnuda faminta!Sua rolona que já estava encaixada entre minhas coxas deu um impossível pulo dentro de suas calças fazendo eu sentir uma leve umidade escorrer de minha bucetinha para baixo de minhas bem torneadas coxas!!-O quêêê…voxês eechstão… fazeeen…do?Levamos um susto e descolamos os lábios e fitamos Gil, agora esparramado no sofá, e antes que falássemos qualquer coisa, sua cabeça tombou pra trás de encontro ao encosto do sofá, dando um ligeiro suspiro e parecendo que roncava.