Tia Safada Ensinando O Sobrinho A Dar Uma Trepada

visualizações

12 min

Categoria:

Tag: , , , , , , , , , ,

visualizações

12 min

Categoria:

Tag: , , , , , , , , , ,

Tia Safada Ensinando O Sobrinho A Dar Uma Trepada

Tia Safada Ensinando O Sobrinho A Dar Uma Trepada

Chegando no quarto ela me jogou em cima da cama, tirou seu vestido, afastou a calcinha para o lado e cavalgou no meu pau de costas gemendo igual uma cadela no cio. Ficamos ali conversando e gostei da amizade que começava a nascer com Tatiana.

-Você nem viu, como pode saber? – respondi-Deixa eu ver vai Dani, aproveita que eles estão ocupados e me mostra seu pau! – pediu elaMe posicionei de pé em sua frente, quase encostando meu pau (ainda por dentro do short) em seu rosto e disse:-Eu percebi você me olhando ontem com essa mesma cara de safada Sara, mata sua vontade, mas tem tem que ser rapido, pois a qualquer momento vão sentir sua falta la embaixo. E sem contar que por mais que meu marido seja maravilhoso na cama, ele me trata sempre de forma muito romântica, e eu estou precisando de alguém que me desperte novas emoções, pois não quero mais ser tratada como uma princesa, depois de tantos anos, de ouvir minhas amigas contarem sobre o que os cafajestes faziam com elas, depois de ver filmes eróticos e ver como aqueles atores pegavam as meninas, eu decidi que quero me entregar para ser a puta de algum macho…A tensão já existia entre os sete há meses, e uma oportunidade dessas não seria perdida facilmente.

– Esses são Jonatan e Joaquim – O Matheus falou – E vc vai ser nossa puta hoje. Depois, Nina ficou de quatro no sofá, Moacir meteu nela por trás e Julieta ficou em pé, atrás dele, roçando seu corpo no dele. Que trepada sensacional tinha sido aquela.

Ele entendeu e comeu-a de papai e mamãe. A Bruna já sabia que eu estava comendo a sua tia. Quando entro no café térreo do shopping, percebo um cara magrinho, cabelo bem preto e curto me fulminando com os olhos. fui ensinando-a a pagar um boquete, ela até se engasgou algumas vezes, mas saiu chupando muito bem com aquela boquinhazinha. Não podia acreditar minha própria mãe, de quatro, gemendo e rebolando em minha piroca enquanto chupava seu sobrinho.

Peguei a calcinha, fui tomar banho e a vesti. Ela sentou ao lado de Pedro que permanecia deitado e me falou: “Vem gatinho, vem que eu te ajudo.