Mais Um Video Caseiro Novinha Brasileira Rebolando Pelada Mostrando O Cuzinho E A Buceta Para Tarado De Petrópolis – Rj

10 seg

Categoria:

Tag: , ,

visualizações

10 seg

Categoria:

Tag: , ,

Mais Um Video Caseiro Novinha Brasileira Rebolando Pelada Mostrando O Cuzinho E A Buceta Para Tarado De Petrópolis – Rj

Mais Um Video Caseiro Novinha Brasileira Rebolando Pelada Mostrando O Cuzinho E A Buceta Para Tarado De Petrópolis – Rj

Eu fiquei perplexo com o jeito dela falar, estava realmente se mostrando uma verdadeira puta! Respondi que sim, era isso que eu queria.

Não sou um cara do tipo pegador, não gosto muito de sair, sou bastante caseiro.

Ser bem comido por um macho tarado. "Essa é a história de uma garota que virgem que sempre sonhou em ficar com Pedro e até que enfim, aconteceuBom, me chamo Valéria, cabelos pretos, olhos verdes, bundinha empinada, conheci o Pedro na internet, sempre trocamos mensagens, mas nunca cheguei a imaginar que teria algo a mais, maaaas, um dia, eu, Valéria, havia ido dar uma volta pela cidade e aproveitei para fazer uns exercícios na praça, na volta peguei uma bela chuva, a minha única saída foi bater na casa de Pedro e pedir abrigo até que a chuva passasse, ele todo educado e mal intencionado(ele sempre quis me comer), Pedro abriu a porta pra mim, me colocou para dentro de uma sala, me deu uma toalha para eu me enrolar e me ofereceu um café e eu aceitei, precisava de algo quente, bebi todo o café e percebi olhares de Pedro sobre meu corpo, sempre olhando minha boca, talvez fosse vontade de beijá-la, bom, a chuva não passava e eu queria muito ir ao banheiro, tive que usar o banheiro de Pedro, a necessidade era muita-Posso usar seu banheiro Pedro?-Pode, é logo ali naquela portaLevantei-me, entrei no banheiro, fiz minha necessidade, quando ia saindo dou de cara com Pedro, que logo me agarra pela cintura e cola meu corpo ao dele, eu queria sair mas ao mesmo tempo queria ficar ali, eu sentia muito tesão por Pedro, Pedro me beijou, nossas línguas faziam uma bela dança, durante o beijo senti Pedro pressionar com força meu corpo ao dele, e é claro, deu pra sentir aquele belo volumePedro me guiou até o quarto dele, e me jogou na cama-Você não imagina o quanto eu esperei por isso Valéria-Imagino sim, eu sempre sonhei em perder minha virgindade com vocêEnquanto falava isso percebi o volume no short aumentar, seria talvez o assunto de ser”virgem” que deixava ele ainda mais excitado, talvez né!?Bom, Pedro se jogou em cima de mim, tirou minha blusa e logo em seguida meu sutiã e começou a mamar em meus seios que já estavam sensíveis e com bicos bem duros de prazer, logo Pedro tirou meu short e em seguida a calcinha e caiu de boca na minha vagina, Pedro lambia com muita vontade, chupava, mordia, e eu me contorcia na cama, nunca havia sentido tanto prazer como aquele em minha vida, durante tantas chupadas e lambidas gozei na boca de Pedro, que fez questão de beber todo aquele mel que ele mesmo conseguiu arrancarTirei toda a roupa de Pedro, o deixando nu na minha frente com aquele pau não muito grande e nem muito pequeno quase na minha cara, Pedro pegou uma camisinha na carteira dele, a abriu, colocou no pau, se deitou sobre mim e iniciou um beijo, enquanto nos beijávamos percebia Pedro enfiar o pênis devagarzinho em minha periquita, ele pressionava, até um certo ponto estava prazeroso, mas logo doeu e eu gritei-Para Pedro, tá doendo-Tem que relaxar, pra poder entrar fácil, confia em mim e relaxaPedro voltou a enfiar e dessa vez com força e rapidez, logo o pau dele entrou todo, eu sangrei um pouco, ele limpou e logo mudamos a posição, era minha vez de cavalgar sobre aquele belíssimo pau, eu estava com vergonha mas até que estava gostando, Pedro se deitou e eu sentei naquele pau, comecei com movimentos leves, mas quando menos imaginei estava ali, rebolando e gemendo sobre Pedro, Pedro revirava os olhos de tanto prazerMudamos de posição várias vezes, até que quando eu estava de quatro, Pedro me avisou que iria gozar-Aaaa, vou gozar, quer esse leitinho quente em você quer gostosa?-Quero, quero ele dentro de mimPedro gozou em mim, aquele jato de porra quente invadiu minha boceta, e eu, fiz questão de meter alguns dedos e lamber um pouquinho daquela porra saborosa que eu mesma conseguiNos deitamos na cama lado a lado, ficamos conversando alguns minutos, Pedro fez outro oral em mim, até que a chuva passou e eu fui pra casa.

Meu estava muito duro dentro da camisinha, então peguei um gel lubrificante e passei bastante na cabeça, deitei-a de lado e encostei o pau na entrada de seu cuzinho. Fui iniciada no sexo por meu próprio pai, o Dr Delço, um advogado muito respeitado e severo mas que na verdade é um safado comedor de novinhas, nada de pedofilia, meu pai como advogado não é otário, adora uma novinha desde que maior de dezoito anos.

Mas não lembro direito como aconteceu, apenas tenho flashes, acho que ele colocou algo na minha bebida, lembro que fui para o carro, ele me colocou no banco do carona e disse que íamos para o motel para ficarmos mais à vontade, quando o carro andou surgiu outro cara no banco de trás, ele tava escondido, tomei um susto e ao mesmo tempo fiquei morrendo de medo, mal conseguia me mexer, estava dopada, mas muito excitada também, o cara do banco de trás começou a pegar em meu pescoço, bjar minha nuca, pegar em meus peitos, eu estava com um vestido rodado branco, ele foi levantando e falando para eu ficar relaxada que eu ia gostar daquilo…eu sabia que não ia me livrar daquilo então comecei a entrar na brincadeira…peguei no pau do motorista por cima da calça… enquanto o outro já ia me masturbando, coloquei o pau dele para fora e comecei a chupar, depois o cara do fundo me puxou para o fundo, me deitou no banco e começou a chupar minha buceta, comecei a gemer gostoso nessa hora, n lembro bem por quanto tempo, chegamos ao motel…descemos do carro e antes de entrarmos no quarto ali mesmo os dois já começaram a rancar minha roupa com muita brutalidade, bater na minha cara e me chamar de puta…fiquei assustada e quis parar pois estava com medo… um deles puxou meu cabelo com força e me obrigou a ajoelhar para chupar ele e eu obedeci, o outro logo colocou o pau pra fora tbm e chupei um e depois o outro…subimos para o quarto e lá eles me deitaram na cama, eu estava muito grogue ainda e sem forças, não lembro muito bem como começou, mas lembro deles me chupando… um metendo em mim enquanto chupava o outro, ele socava muito forte e eu gritava como uma puta, eles tetaram comer meu cu e eu não deixava, mas estava muito fraca, então eles forçaram e eu comecei a chorar e pedir para parar, pois vc sabe que não gosto de anal, mas um deles me acalmou e colocou o pau em minha boca…então eu resolvi ser a putinha que vc sempre me pediu Mo…relaxei o corpo e me deixei ser comida, lembro que ainda falei “é só isso que vocês tem?”…eles ficaram com mais raiva ainda e socaram mais forte e me deram uns tapas fortes…gozei muito. Andréia foi lá e começou a chupar o cuzinho de Tony que fez milagrosamente um 69 comigo me sem se esquecer de limpar o meu rabinho melado com sua própria porra;Desliguei o telefone, era o marido dela, um oficial de alta patente da marinha brasileira, 3 seguranças pessoais e diversas armas para proteção pessoal, típico militar autoritário ciumento e machista, e além de tudo, corno.

Quando o João entrou no quarto que me viu pelada eu percebi que o pau dele ficou duro instantaneamente dentro da bermuda que ele estava vestindo, meu marido entrou ao lado dele e falou: “João, pode comer esta vadia, eu vou ficar aqui apenas olhando”.

O quarto estava vazio, tendo apenas um vídeo com uma TV e um computador aonde iríamos pesquisar.