Fudendo a buceta da minha namorada

23 seg

Categoria:

Tag: ,

visualizações

23 seg

Categoria:

Tag: ,

Fudendo a buceta da minha namorada

Fudendo a buceta da minha namorada

Então, em uma delas, na qual Cris estava com as pernas entreabertas, não pude conter a curiosidade e apliquei um zoom para ver aquela calcinha mais de perto. "pois meu pai tinha viajado e minha iria dormir na casa da minha irmã que acabara de ter nenem, eu a convidei pra que fosse na minha casa.

Depois conto como foi minha primeira gozada em sua boca…. Abaixei a cueca dele, coloquei lubrificante no meu dedo e comecei a enfiar no cuzinho dele. – Posso vir me afogar aqui outras tardes, Osvaldo?– Claro que pode, venha se afogar sempre que quiser!"– Ocê num sabe, uai!!? Era rapaiz muito safado e cumia as escrava tudim da fazenda!!"Mesmo depois de toda a putaria que havia rolado, Debora, a namorada de Fernando parecia ainda estar com fogo na buceta. Passei a mão por suas coxas, sentindo todo seu calor e disse: “Quero comer essa tua buceta gostosa é agora”. Estava com um fogo só na bucetinha. fui e armei com meu tio na cabaninha também só que um pouco mais tarde deles pra quando agente chegar eles já estarem fudendo, damos flagra ela fica me devendo essa e Bené livre pra me comer todinho. Ainda tentei convencê-lo a transarmos no banheiro, mas ele ficou com medo de queimar o filme com os donos da casa e resistiu bravamente às minhas súplicas.

Voltei a pensar no que tinha visto e aquela imagem da figura feminina ali deitada bem perto de mim ficou gravada na minha mente a ferro e fogo. Apesar da luxúria que me enlouquecia, eu a ouvi murmurar algumas palavras: “Oh, Raphael, tá gostoso, meu bem…” Quando comecei a lamber e depois sugar delicadamente o seu clitóris, o vulcão entrou em erupção! Levantou as pernas, abriu-se para a minha boca, apertou fortemente a minha cabeça com as coxas e gozou alucinadamente, jogando definitivamente os seus pudores e puritanismos na lixeira da volúpia: “Aiiii, Raphael, eu morro…” Mas não morreu, é claro, e eu comecei a penetrar devagarinho naquela gruta quente e umedecida pelo orgasmo. Sentamos e eu lhe perguntei sobre o acontecido do sábado. Foi a partir desse tesão dela que a conheci.